Lírio Parisotto

Uma personalidade bastante interessante para quem gosta de investimentos é o empresário Lírio Parisotto. O atual gestor de um fundo bilhonário nasceu em uma família humilde no interior do RS e sempre correu atrás do seu objetivo de ser um homem rico.

Lírio Albano Parisotto deixou a vida de agricultor aos 13 anos e após ser, entre outros, médico, bancário e comerciante, fundou a Videolar.

Como investidor, Lírio não teve sucesso desde sempre. Passou por grandes tropeços com a bolsa de valores, mas nem por isso desistiu ou ficou traumatizado. Ao contrário, aprendeu com seus erros, estudou mais e voltou a investir.

Parisotto acredita na estratégia de investimento conhecida como “buy and hold”, bastante conhecida por ser a mesma utilizada por Warren Buffet, em que o investidor compra ações para se tornar sócio das empresas e participar dos seus lucros, sem o objetivo de vendê-las no curto prazo.

Essa é uma personalidade inspiradora para aqueles que acreditam que é possível buscar a riqueza e que a bolsa de valores pode ser um veículo para ajudar nesse processo!

Abraços e bons investimentos a todos!

Resultado Carteira de Agosto

A carteira teórica composta pelos papéis mais recomendados entre as corretoras no mês de Agosto teve como resultado -2,42%. O resultado, apesar de negativo, supera o desempenho do índice Bovespa no mesmo período, que teve resultado de -3,46%.

Sinais de reação exagerada dos mercados

Não sei qual a fonte original disso, mas recebi de um amigo e grande entendedor de mercados os pontos abaixo, que são ótimos argumentos para sustentar que as recentes quedas são uma reação extremamente exagerada dos mercados. Se alguém souber de onde veio, pode citar!

1 – O Brasil deverá apresentar a sexta maior expansão do PIB em 2011, só atrás de China, Índia, Argentina, Arábia Saudita e Turquia.

2 – Ainda assim, entre as principais bolsas de valores do mundo, o Brasil tem a maior queda em 2011, com 24% de desvalorização. A Europa cai de 10% a 15%, enquanto o Dow Jones recua apenas 2%.

3 – Entre as 66 ações que compõem o Ibovespa, 22 delas encerraram a quinta-feira sendo negociadas abaixo do valor patrimonial. Caso o Ibovespa perca a faixa dos 50.000 pontos, mais de 40% das empresas serão negociadas abaixo de seu patrimônio.

4 – Se isso acontecer, deveremos ter uma enxurrada de programas de recompra de ações e até mesmo fechamentos de capital [o que beneficia as ações]. Ontem mesmo começaram especulações nessa linha com relação à Gafisa.

5 – Atualmente a métrica entre o valor de mercado das empresas do Ibovespa em relação ao seu lucro (P/L) está em 8,11x. Aos que não estão habituados ao múltiplo, é como dizer que se as empresas não aumentarem em nada seus lucros (cenário improvável), em 8,1 anos elas lucrariam tudo que valem hoje. Esse mesmo múltiplo que está 8,11x aqui no Brasil, está 12,26x nos Estados Unidos (Dow Jones). Isso quer dizer que os investidores vão demorar mais tempo para receber de volta seus investimentos por lá. Ou seja, os EUA estão 51,2% mais caros que o Brasil.

O ponto é que a economia americana está bastante endividada, enfrenta 10% de desemprego e sofre com problemas imobiliários e políticos. Então merece um prêmio sobre o Brasil? Será que suas empresas vão elevar os lucros acima das empresas brasileiras?

6 – Ainda na linha do P/L, no auge da crise de 2008 quando o Ibovespa chegou a 29.435 pontos, o P/L havia alcançado a sua mínima de 6,79x. Como o P/L atual é de 8,11x, significa dizer que para voltarmos à mínima desde a crise, o Ibovespa apresentará potencial de cair ainda 16,3% alcançando 44.215 pontos. Ou seja, os 29 mil pontos de 2008 agora são 44 mil pontos.

Abraços e bons investimentos!

Liquidação na Bovespa!

Imagine que você vai ao supermercado toda semana e compra leite. De repente, o preço da caixa de leite está 30% menor do que na semana anterior. A pergunta: o leite deixou de ser bom? deixou de te fornecer o cálcio que você precisa? deixou de te dar o prazer de tomar um bom café com leite ou chocolate quente? Não! As leis da oferta e demanda causaram uma queda no preço do seu leite favorito, mas ele continua o mesmo. Você deixa de comprar o leite ou compra um pouco mais, pra aproveitar a promoção?

Não sou analista de ações e muito menos credenciado a realizar recomendações de compra ou venda, mas gostaria de analisar junto com vocês a situação atual da BM&F Bovespa, a bolsa de valores de São Paulo.  Alguns focos de desaceleração em algumas das maiores economias mundiais estão assustando quem tem dinheiro na mão. O medo leva as pessoas a tomarem decisões precipitadas e não muito inteligentes. Elas preferem correr e deixar o dinheiro debaixo do colchão.

Mas pensando com calma quero que vocês me digam: é sensato deixar de ser sócio de uma empresa que, não só continua tão boa quanto era ontem, mas continua crescendo, só por que muitas pessoas acreditam que ela vale menos? Será que o mais inteligente não seria exatamente aproveitar para abocanhar uma parcela maior dos lucros dessa empresa, investindo um valor menor? E se ficar ainda mais barata, você vai deixar de ter feito um bom negócio?

Assim como no mercado imobiliário, ganha dinheiro no mercado de ações aquele que faz boas compras! A idéia não é comprar pra esperar valorizar, e sim comprar desvalorizado! Faça suas contas, olhe para os números das empresas e tire suas próprias conclusões.

Algumas empresas estão dando um retorno em dividendos, aos valores atuais, que se aproximam do que paga a renda fixa. Isso significa que mesmo que elas não se valorizem, seu dinheiro estará recebendo uma remuneração. E ainda existe a possibilidade de alugá-las para os investidores que apostam na queda.

O mercado é cheio de oportunidades. Investir não é para quem é guiado pelas emoções. É preciso ter sangue frio e estratégias bem determinadas. Se você não consegue fazer isso sozinho, procure profissionais que te auxiliem e corretoras que te forneçam dados o bastante para auxiliá-lo em suas decisões.

Grande abraço e bons investimentos a todos!

A velha regra dos 10%

Sim, todos já devem ter ouvido sobre a regrinha básica de guardar 10% de sua renda. O famoso pague-se primeiro. Porém a maioria das pessoas não consegue colocar isso em prática nunca. Vou tentar explicar quais são os maiores enganos das pessoas na tentativa de seguir a regrinha primordial.

Sacos de DinheiroAcredito que o principal erro da maioria das pessoas seja o de não entender qual o objetivo desses 10%. Devem ser investidos para NUNCA gastar. É isso mesmo, NUNCA. A maior parte das pessoas começa a juntar dinheiro e, assim que acumula um valor considerável, compra um carro ou um apartamento para morar, faz uma viagem ou qualquer outra coisa do tipo. Porém a idéia desse dinheiro é investir bem e por tempo o bastante para que ele comece a gerar uma receita! Essa receita sim você pode gastar o quanto quiser! Essa receita é a que te dará a tal “independência financeira”.

Outro engano é, de certa forma, consequência do anterior. Como os objetivos de longo prazo para o dinheiro não estão bem definidos, o investidor, ávido por acumular grandes quantias, consegue poupar 50% da renda. Porém, como não faz qualquer tipo de distinção entre os valores, logo chega ao mesmo caso e gasta tudo. Conseguir poupar 50% da renda é excelente, mas deve-se dividir os investimentos. Aqueles 10% e seus rendimentos ficam intocados. O restante servirá para trocar de carro, comprar um apartamento maior, pagar a viagem de férias, etc.

Basicamente a idéia é ter “vários cofrinhos”, um para cada objetivo. Você pode inclusive ter um cofrinho para “ainda não sei como usar”. Logo, logo vai surgir algo com que você queira gastar e aquele cofrinho poderá ser quebrado! Mas aquele cofrinho, dos 10% de longo prazo, você só deve lembrar que existe quando recebe seus proventos. Logo em seguida esqueça que ele existe (a não ser pra investir em algo melhor).

Alguém aí tem o seu cofrinho dos 10% intocado? Quem já começou e depois gastou tudo?

Abraços e bons investimentos!

Carteiras Recomendadas

Esse mês voltaremos a acompanhar as mais recomendadas pelas corretoras. A idéia é termos uma carteira teórica em torno de 10 papéis, ponderada pelo número de recomendações, acompanhando o seu desempenho. Esse mês a carteira ficou com 12 ações, já que houve empate entre 4 empresas com 5 recomendações.

Ação Núm. Recom.
VALE5 18
PETR4 13
CMIG4 8
ITUB4 8
RAPT4 7
AMBV4 6
BBAS3 6
PDGR3 6
EZTC3 5
HYPE3 5
LREN3 5
TLPP4 5

Em breve divulgaremos o desempenho da carteira. Abraços a todos e bons investimentos!

Investimento em Imóveis

Olá amigos,

Alavancagem e imóveis

Como bem sabem, trabalho com investimentos a muitos anos e por isso as pessoas costumam me procurar quando pretendem investir em qualquer coisa. É crescente no meu dia-a-dia, pessoas me procurando interessadas em investir em imóveis. Existem algumas opções para isso no mercado financeiro, porém exigem volumes de capital consideráveis. Além disso, as pessoas querem ter contato mais direto com os imóveis de verdade. Aqui vai minha opinião pessoal quanto ao investimento em imóveis e como fazer isso de forma mais lucrativa e segura.

Ao meu ver, a regra principal para o investimento em imóveis é: COMPRAR BEM. Quando compramos um imóvel esperando que valorize, estamos especulando. Isso é contar com uma conspiração do universo ao seu favor. O lucro de verdade se faz no momento da COMPRA e não no momento da VENDA. O imóvel precisa ser comprado abaixo do valor atual. Dessa forma, o retorno será maior, tanto para vender quanto para alugar.

O mercado imobiliário está bastante aquecido e os analistas em geral acreditam que ainda teremos alguns anos de crescimento pela frente. Investimento em imóveis é muito bom, com certeza, mas é necessário levar algumas coisas em consideração. Não compre imóveis tendo em mente frases como: imóveis sempre valorizam. Compre barato! É fácil? Não. Mas como diria meu amigo Fabrício Peruzzo: “levanta a bunda da cadeira e vai procurar”. As boas oportunidades não vão cair no teu colo como mágica. Procure MUITO e vai achar algumas poucas oportunidades que REALMENTE valem a pena.

Vale a pena comprar imóveis na planta?

Ao meu ver, existem muitas boas oportunidades e bons negócios são feitos, mas é bastante difícil de avaliar. É como comprar ações de uma empresa que foi aberta ontem. Dessa forma, grande parte do “lucro” é uma expectativa. Ainda existem alguns riscos associados, como atraso de obras, entregas diferentes do memorial descritivo e até paralização das obras. Por fim, ainda é necessário se preparar para ter crédito no momento da entrega das chaves para conseguir um financiamento. Acredito que para investir em imóveis na planta o bom mesmo seja já ter uma boa reserva para quitá-lo o quanto antes ou ter um valor que permita dar lance em um consórcio e ter crédito para o momento da entrega das chaves garantido e barato.

Comprar para vender ou para alugar?

Ambos são boas opções, desde que a compra do imóvel seja boa. Na verdade o interessante é avaliar qual o melhor retorno para cada imóvel em questão. Digamos que você compre uma sala comercial de R$ 120mil com um consórcio de R$ 100mil, contemplado através de lance, onde foram investidos R$ 40mil. Talvez esse imóvel alugado pague a totalidade ou a maior parte da parcela do consórcio, de forma que, na prática, comprou-se um imóvel por cerca de 33% de seu valor. Nesse caso, avalie se prefere, por exemplo, vender a sala por uma entrada de R$ 60mil, repassando o consórcio, ou se prefere manter o imóvel e a renda passiva que ele vai gerar.

Construir é uma boa idéia?

A construção é a ponta que mais lucra com esse “boom” do mercado imobiliário. Com certeza construir, tanto para vender, alugar ou até para morar, é um ótimo negócio. Porém é preciso se assessorar de profissionais qualificados e de confiança, já que os riscos também são consideráveis.

Como alavancar capital para investir?

Vocês já devem ter percebido ao longo do texto que considero consórcios imobiliários uma ótima opção para isso. Existem cartas de crédito em diversos valores, com parcelas partindo de menos de R$ 500,00 por mês, tornando-se acessíveis para grande parte da população. Comparados com os financiamentos, são extremamente mais baratos, pois não existem juros, apenas a taxa de administração e outras pequenas taxas de segurança. Em consórcios de 150 parcelas, paga-se menos de 30% do valor total do crédito em taxas. No caso do financiamento, deixo como exercício para vocês calcularem os juros de 9% ao ano, ao longo de 30 anos.

[UPDATE] Para que não fiquem dúvidas: Se você considerar, para efeitos práticos de comparação, a taxa de administração do consórcio como “juros”, você vai verificar que, ao final dos 12.5 anos do consórcio, terá pago 1.3 vezes o valor do bem. Com certeza 30% de “juros”, ao longo de 12.5 anos é muito abaixo do que qualquer financiamento disponível atualmente.

Eu mesmo já aderi a essa a modalidade. Sou entusiasta e me coloco à disposição de quem quiser começar. Basta entrarem em contato comigo por e-mail (nolde@jovensinvestidores.com.br) que terei prazer em auxiliá-los.

Abraços e bons investimentos!

Conquiste seus objetivos!

Do The Work

Sempre fui uma pessoa de muitas idéias e estou sempre antenado para os negócios. Minha vontade de empreender e meu gosto pelo assunto sempre me renderam muitas conversas. Meus amigos costumam vir até mim para expor seus projetos, esperando que eu possa criticá-los e acrescentar alguns novos pontos de vista. Isso me agrada bastante, uma vez que conversar sobre negócios é um prazer para mim.

Uma coisa que aprendi nesses tantos anos às voltas com investimentos e empreendedorismo é que as idéias em si não valem nada. Quantas foram as idéias que me contaram ou que eu tive e dividi com diversas pessoas e que, mesmo assim, nunca saíram do papel?

Pois é! Ter idéias é fácil, o difícil é levantar a bunda do sofá e dar a cara à tapa. Pode ser por medo de não dar certo, por não ter dinheiro para o investimento inicial, por não conseguir levar em paralelo com o emprego ou por muitas outras desculpas que todos nós procuramos quando surge o momento de sair da zona de conforto.

A dificuldade de realizar projetos e principalmente de terminá-los é chamada por Steven Pressfield de “A Resistência” em seu livro Do The Work. Ele fala sobre a resistência como algo a ser combatido diariamente. Ela está dentro de cada um de nós e precisa ser dominada. Segundo Pressfield, a resistência não brinca em serviço, ela quer matar a sua vontade.

Algumas dicas do livro para vencer a resistência são:

  1. Comece antes de estar pronto: às vezes ficamos tanto tempo planejando o que vamos fazer que a resistência acaba nos matando antes mesmo de começarmos. Comece! Depois vá replanejando e ajustando seu projeto.
  2. Limite as pesquisas: é comum querermos ficar pesquisando e nos especializando mais sobre o assunto. Isso é muito bom, desde que não consuma todo o tempo em que você deveria estar com a mão na massa. Limite o número de livros, blogs, artigos que vai ler sobre o assunto a cada dia.
  3. Mantenha-se primitivo: a criatividade é primitiva e instintiva. É dos seus instintos e intuições que surgem as boas idéias.
  4. Mire o topo: se você não estiver tentando atingir o topo desde o início, nunca vai chegar lá. É bem mais fácil mirar o topo e depois reduzir a expectativa no meio do caminho do que o contrário.

O livro é bastante interessante e trata do lado psicológico de nossas vidas. Quem impede você de realizar seus projetos é você mesmo. Trabalhando isso em sua mente e controlando a resistência, os problemas externos certamente serão apenas obstáculos dos quais você tem toda a capacidade de desviar.

Espero que isso ajude você a se mexer e realizar seus sonhos!

Abraços e bons investimentos a todos!

Trabalhar em casa é bom, mas cuidado!

A tecnologia atual nos permite trabalhar sem a necessidade de estar fisicamente na empresa. Permite que tenhamos nossos próprios negócios à partir de home-offices de onde nos comunicamos com nossos clientes e fornecedores, sem perder tempo com deslocamentos, sem os altos custos do transporte e com mais qualidade de vida.

As vantagens são muitas, mas trabalhar em casa traz algumas armadilhas. A principal delas é que a mesma tecnologia que te permite tal escolha, também te traz uma infinidade de distrações. Manter o foco trabalhando em casa pode ser uma tarefa mais árdua do que você pensa. Fora a preguiça e aquela vontade de tirar uma soneca depois do almoço.

Você pode sim trabalhar em casa, ter mais qualidade de vida e ainda assim manter uma alta produtividade. Aqui vão algumas dicas do site da revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios que vão te ajudar a ser produtivo mantendo a flexibilidade:

- Trabalhe com o que gosta: Ainda que seja em casa, trabalhar com aquilo que não gosta continuará não dando certo.
- Prepare seu home-office: Tenha um bom computador, conexão com a internet, telefone e todas as ferramentas necessárias para desempenhar suas atividades.
- Vista-se como se fosse sair para trabalhar: Trabalhar de pijama é tentador, mas é bom que fique bem claro para você mesmo e as demais pessoas da casa que você não está de férias.
- Defina seu espaço: Seu escritório é local de trabalho. Quando está nele você não deve ser interrompido e ninguém deve mexer em seus papéis e gavetas, por exemplo.
- Alimente-se corretamente: A preguiça e/ou a correria do trabalho podem te levar a pular refeições. Separe horários para comer com tranquilidade, ainda que em casa. Tente marcar almoços com parceiros e clientes.
- Não se isole do mundo: Saia, veja pessoas, realize atividades físicas. Trabalhar em casa não deve ser uma desculpa para você se enfiar em um casulo.

Leia a matéria na revista PEGN:
http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI228821-17191,00.html

Abraços e bons investimentos!

Como virar um investidor!

Fico muito feliz em receber e-mails, scraps e outros tipos de comunicação pedindo ajuda, dicas e sugestões. Sinto que já adquiri o respeito daqueles que acompanham meu trabalho e o que escrevo desde que criei a comunidade Jovens Investidores no Orkut. Isso me faz sentir ainda mais vontade de dividir com vocês a minha experiência como investidor, meus erros e acertos, para que vocês não comecem do zero.

Decidi montar um passo-a-passo de como se tornar um investidor. Quanto a ser bem sucedido ou não, vai depender das suas escolhas e sua disciplina, mas a base eu vou expor aqui para ajudá-los como for possível.

Basicamente, para virar um investidor você precisa ter recursos para investir. Esses recursos podem até não ser seus, mas precisam existir! Não adianta você gastar mais do que ganha, ter contas e prestações a perder de vista e vir me perguntar sobre a bolsa de valores, por exemplo.

Para se tornar um investidor o primeiro passo é organizar sua vida! Analise qual a sua situação atual:

  • Quanto você ganha?
  • Quanto você gasta?
  • Para onde vai o seu dinheiro?
  • Sabe onde você quer chegar?
  • Pode cortar gastos e/ou aumentar os ganhos?

Quando conseguir responder sim a essas perguntas, já podemos começar. Precisamos mapear pra onde o dinheiro vai e garantir uma forma de gerar um excedente. Em resumo, gastar menos do que ganha! Nos próximos posts vou aprofundar um pouco esses pontos. Vamos ver formas de aumentar suas receitas, formas de diminuir as despesas e métodos de organização.

Se tiver alguma dúvida ou sugestão, sinta-se à vontade para contribuir!

Grande abraço e bons investimentos a todos!

Powered by WordPress | Designed by: Premium WordPress Themes. | Find the best Premium WordPress Themes, Checking and Free WordPress 4 Themes